Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

18.11.19

Um eu postiço.


Vorph "Girevoy" Valknut

 

"Quando falo com sinceridade não sei com que sinceridade falo. Sou variamente outro do que um eu que não sei se existe (se é esses outros).
Sinto crenças que não tenho(...) A minha perpétua atenção, sobre mim, perpetuamente me aponta traições de alma, a um carácter que, talvez, eu não tenha, nem ela julga que eu tenho.
Sinto-me múltiplo. Sou como um quarto com inúmeros espelhos, fantásticos, que torcem, para reflexões falsas uma única, anterior, realidade que não está em nenhuma e está em todas.
Como o panteísta se sente árvore e até flor, eu sinto-me vários seres. Sinto-me viver vidas alheias, em mim, incompletamente, como se o meu ser participasse de todos os homens, incompletamente, por uma suma de não-eu, sintetizados num eu postiço".

 

1915? Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação. Fernando Pessoa. (Textos estabelecidos e prefaciados por Georg Rudolf Lind e Jacinto do Prado Coelho.) Lisboa: Ática, 1966.



Serei, eu, quem sou, ou um outro, por mim, crido? E quanto do que faço, me cabe a mim, se eu, ao outro, anuir no inconseguido? E se de tantas, terem sido as coisas, me fiz num pouco de mim? Quanto de mim há em outros de quem me julgo ser?

 

2019? Vorph Valknut, Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação, Maia: Blogue de Alterne

10 comentários

Comentar post