Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

23.04.20

O simbólico prevalece sobre o real


Vorph "Girevoy" Valknut

a-terca-feira-negra-que-mudou-o-mundo-ha-90-anos-v

A questão não é a justiça ou o valor do aumento no vencimento dos funcionários do Estado. É a mensagem, a carga simbólica desse aumento. Falar em aumentos na função pública, quando os seus funcionários, ao contrário da maioria dos portugueses, estão a receber na íntegra o seu vencimento, na certeza de quando isto passar o seu emprego estará assegurado, é uma tontice, quando se fala na necessidade de entreajuda e sacrifício colectivo. Estando previsto um défice a rondar os 10%, e considerando que tais aumentos representam, grosso modo, um aumento da despesa pública de centenas de milhões de euros p/ano, é absurdo não se ter previsto que tal decisão, neste momento e nesta altura (como referiu Rui Rio) é promover a divisão da comunidade e criar, desnecessariamente, fracturas na sociedade, entre quem é aumentado, mantendo por lei o emprego, e quem o perde.

Adenda:

Sobre a importância do valor simbólico dou como exemplo "o aperto de mão" . Do ponto de vista do Real apertar a mão é pressionar com a nossa a mão de outro. Do ponto de vista do Simbólico é muito mais do que isso. É um manifesto de confiança.