Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

21.03.20

Hoje esforçamo-nos para "não morrer". Amanhã faremos contas para viver.


Vorph "ги́ря" Valknut

Maurits-Cornelius-Escher-escadas-relativity-ilusao

Ontem, a descer a rua, um casal que discutia só ter dinheiro até terça feira. Do homem ouvi-lhe a possibilidade de ficarem sem contador da luz. Da mulher ouvi-lhe um sonoro, "Foda-se". Do outro, a subi - la, uma mulher carregada de compras, de máscara e luvas. O nada ao lado de tudo. 

Julgo que mais uma vez iremos ver as assimetrias sociais da crise económica consequente desta crise sanitária. Entre quem trabalha para o Estado e quem é do Privado.

Portugal para além de uma população muito envelhecida, tem um tecido empresarial muito frágil, porque constituído, em grande parte, por micro - pequenas - médias empresas, e sobre-endividado.

Onde irá buscar o Estado o dinheiro para um estado de emergência sem fim à vista? 

2 comentários

  • /I, concordo. É "engraçado" serem, apenas, elegíveis , para a linha de CRÉDITO, empresas que não despeçam. Numa crise económica, severa, não despedir será fazer a quadratura do círculo.

    Quanto ao helicopter money julgo que ele tem voado desde 2008. Quanto ao valor do dinheiro já não sei o que é nem como se calcula. Cá em casa de quarentena "imposta" . Mas sabemos que iremos ser infectados. Tudo de bom para vós, /I.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.