Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

14.01.20

Há algo de atávico na associação que fazemos entre o frio e a vitalidade.


Vorph "ги́ря" Valknut

Há algo de atávico, na associação que fazemos entre o frio e a vitalidade (à latência do calor, juntamos-lhe a dormência, a carência de vontade). Já todos a sentimos, pelo menos, uma vez, aquando de um banho, sob águas geladas, recordando como, delas, emergiamos, mais despertos do que a lavagem habitual (as termas levam-nos mal). 

O saber da experiência do frio, revigorante, imunizante, é muito antiga, lembrando aqui, a propósito, o genial Nietzsche, que sobre ele tanto escreveu (esse gelo cumeal). 

Outra forma, tão antiga, de estremecimento mental, são os jejuns impostos, presentes, atrever-me-ia a dizer, em todos os diários sagrados.

Parece que para acordarmos, partes adormecidas da mente, necessitamos de fazer dormir o corpo, e para saciar a alma, uma anorexia da carne. Só assim, quem sabe, damos o sentido de dentro, aos Sentidos de fora.