Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

23.07.20

Comportamento Humano (3)


Vorph "ги́ря" Valknut

Gage.png

(Phineas Gage, ver texto em baixo) 

Como prometido, no último post, sobre o tema, "Comportamento Humano", chegámos ao Córtex. A haver uma zona responsável pela nossa Humanidade, pela nossa Moralidade, o Córtex surgiria em primeiro lugar. Dentro desta estrutura anatómica, existem muitas outras sub-estruturas, como, por exemplo, o Córtex Pré Frontal, a parte mais recente e interessante do Córtex, localizada imediatamente atrás da nossa testa (curioso como existem saberes populares que associam testas altas à inteligência). O Córtex, de entre variadíssimas funções, controla os comportamentos impulsivos, é através dele que advém a nossa capacidade de planificação, de organizarmos os nossos conhecimentos, a nossa capacidade de abstracção e pensamento lógico, e também a nossa "Moralidade". Recorrendo-me da terminologia freudiana, o Córtex é um tipo de Super-Ego. É ele que nos diz o que é mais "acertado" fazer, em cada momento. A título de exemplo transcrevo o célebre relato sobre Phineas Gage, um operário, do séc XIX, dos caminhos de ferro norte americanos, que após uma explosão ficou sem a parte esquerda do Córtex Pré Frontal, tendo, contudo, e "felizmente", sobrevivido:

"O equilíbrio entre os seus instintos animais e faculdades humanas parece ter desaparecido. Ele tornou-se volátil, capaz das profanidades mais grosseiras, tendo ficado muito diferente de como era antes do acidente. Mostra pouca deferência com os amigos, indiferente aos seus conselhos. Não controla os seus impulsos e mostra-se incapaz de planificar a sua vida. Para muitos dos seus conhecidos Gage deixou de ser Gage "

 O Córtex é maior nos animais mais gregários, mais sociáveis, em que uma boa leitura das emoções nos membros do grupo é fundamental para garantir a sua integração e sobrevivência. Curiosamente o Córtex Pré Frontal é também, ele, maior nas pessoas mais sociáveis (tendo-se usado como critério, desta sociabilidade, o número de contactos telefónicos e mensagens enviadas). Como referi, na Neurobiologia os comportamentos, as suas causas, são sempre mais complexos do que aparentam ser. Desta forma, no Córtex temos também uma zona muito emotiva designada por (NPF vm) Núcleo Pré Frontal Ventro Medial (ventral =em baixo ; medial =para dentro da sua linha média), responsável por um pensamento emotivo (ex: uma área muito activa nos músicos de jazz durante sessões de improvisação musical). Depois existe uma outra, denominada (NPF dl) Núcleo /Área Pré Frontal Dorso Lateral (em cima e para o lado de fora de uma linha imaginada que passe sobre o meio do Córtex Pré Frontal). Esta, em contrapartida, é responsável, "unicamente", por decisões, avaliações, comportamentos, meramente racionais, que visam exclusivamente os resultados e não os meios para os atingir. Assim, pessoas com danos nesta zona manifestam perturbações do foro emocional pois não existe um controlo do NPF dl sobre o NPF vm. Um exemplo prático são os octogenários que após um AVC, nesta área cerebral, ficam com obsessões, taras sexuais. Em sentido oposto, as pessoas com lesões na parte emocional do Córtex (NPF vm), tornam-se frios calculistas, sociopatas, muitas vezes bem sucedidos (grande parte dos reclusos, norte americanos, que estão no corredor da morte, apresenta danos corticais, muitas vezes resultantes de traumatismos cranianos, advindos de fortes pancadas (relembro o filme Joker) . A escolha da "melhor" decisão a ser tomada resulta de um "jogo" entre aquelas duas zonas corticais. Foi isto que António Damásio descobriu e tornou famoso no livro, "O Erro de Descartes". Diz dito autor que antes de tomarmos uma decisão existe uma experiência mental e física, sendo que a física é expressada pela sensação que sentimos, fisicamente, ao escolhermos cada uma das várias alternativas comportamentais ao nosso dispor (Marcadores Somáticos de Damásio). Quanto pior nos sentirmos (activação do NPF vm) com a escolha feita pelo NPF dl maior a probabilidade de tomarmos outro comportamento que não aquele que está a ser ponderado - É Fundamental, para a escolha das nossas melhores decisões, sob um ponto de vista, exclusivamente, Moral, a existência de uma relação biunívoca entre Emoção/Razão (quem desdenha a Emoção como o elo fraco, entre as duas, terá fortes possibilidades de vir a ser um canalha).

E quanto ao Córtex julgo melhor, por agora, finalizar as hostes, a bem da vossa, e estimada, carga cognitiva cortical. 

9 comentários

Comentar post