Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

20.07.20

Comportamento Humano (2)


Vorph "ги́ря" Valknut

amigdala.jpg

Sobre a Amígdala e em jeito de conclusão acerca desta estrutura anatómica que é, em certo sentido, a sede dos nossos piores comportamentos, ressalvando, porém, que a classificação moral de uma acção depende sempre do seu contexto (ex: matar não é em si uma acção condenável ou louvável - Serial killer vs Policia), os neurocientistas consideram-na como o berço das emoções associadas ao medo, à ansiedade, e da agressividade. Aliás, é interessante o medo e a violência terem uma mesma origem cerebral (o medo como causa de violência). Contudo nem sempre o medo conduz à agressividade e nem toda a agressividade deriva do medo, entrando aqui outros factores biológicos (ex: hormonas), sociais (macho Alfa vs macho com posição social inferior), e ambientais, que podem influenciar, por exemplo, a atrofia ou a hipertrofia de certas estruturas cerebrais - ex: crianças educadas em ambientes hostis apresentam estatisticamente, de forma significativa, Amígdalas maiores, perfis hormonais diferentes, daquelas de crianças educadas em ambientes privilegiados.

Como facto curioso, e uma vez que usei os serial killers num exemplo anterior, estes apresentam, de forma expectável, Amígdalas com dimensões inferiores ao normal, inferindo-se que essa poderá ser uma das razões por aqueles demonstrarem, simultaneamente, elevados níveis de tolerância à dor e ao medo (a Amígdala tem também ligações com zonas cerebrais associadas à percepção da dor, o que faz todo o sentido, uma vez que uma das causas de ansiedade ou do medo é prever a possibilidade de virmos a sofrer). De referir, por último, que não há uma zona do cérebro responsável, totalmente, por um determinado comportamento, havendo milhares de milhões de comunicações sinápticas (ligações entre os neurónios) entre diferentes partes do cérebro, com funções muito distintas. Por exemplo, e porque será o próximo tema, o Córtex Frontal, a zona cerebral mais recente, em termos evolutivos, e mais desenvolvida nos primatas que nos restantes mamíferos, comunica com a Amígdala, refreando, anulando, a sua influência na tomada de decisões (a Amígdala é responsável, genericamente, pelos comportamentos impulsivos, imponderados, de "tipo automático", contrariamente ao Córtex que é o habitat, se assim posso dizer, do Super-Ego (a Amígdala seria o ID de Freud), ou usando outra definição, é ele o responsável pelos comportamentos mais difíceis de serem tomados, porque mais adequados (praticar o Bem é sempre mais difícil do que escolher o mal). No Córtex nasce a nossa Moralidade. 

6 comentários

Comentar post