Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue de Alterne

Blogue de Alterne

...

Outubro 31, 2018

Vorph Valknut

 

Entre aves de rapina

 
Quem aqui quer descer,
que depressa
a profundeza o traga!
- Mas tu, Zaratustra,
amas ainda o abismo,
queres igualar o abeto?

Esse finca raízes, ali
onde mesmo o penedo, arrepiado,
olha para as profundezas - ,
ficas hesitante à beira dos abismos
onde tudo em volta
quer precipitar-se:
entre a impaciência
do cascalho que se precipita, do regato que se despenha
tu ficas sofrendo, mas paciente, duro, calado
solitário...

Solitário!
Pois quem se atreveria
a ser hóspede aqui,
a ser teu hóspede?...
Talvez uma ave de rapina:
essa, sim, suspende-se
com regozijo dos cabelos
do mártir inabalável,
com loucas gargalhadas,
gargalhadas de aves de rapina...

Para quê tão inabalável?
-escarnece ela cruel:
É preciso ter asas quando se ama o abismo...
não se deve ficar dependurado
como tu, ó enforcado! -

Ó Zaratustra,
crudelíssimo Nimrod!
Há pouco ainda caçador de Deus,
eras rede de agarrar toda a Virtude,
seta do Mal!
Agora -
por ti mesmo perseguido,
presa de ti mesmo
 
Agora -
solitário contigo,
em diálogo com a própria ciência,
entre cem espelhos
falso ante ti mesmo,
entre cem lembranças
incerto,
cansado de toda a ferida.
frio a todo o gelo,
esganado nos teus próprios baraços,
Conhecedor de ti mesmo!
Carrasco de ti mesmo!

Para que é que te amarraste
com o baraço da tua sabedoria?
Porque te atraíste
ao paraíso da velha Serpente?
Porque te insinuaste
em ti - em ti?...

Um doente agora,
doente do veneno da Serpente;
um prisioneiro agora
que tirou a pior sorte:
na própria mina
trabalhando agachado,
em ti mesmo encovado,
minando para dentro de ti mesmo,
canhestro,
hirto,
um cadáver -,
sobrepujado pela carga de cem cargas,
sobrecarregado de ti,
um Sábio!
um Conhecedor de si mesmo!
o sábio Zaratustra!...

Buscavas a carga mais pesada:
e a ti te encontraste -,
e não podes arrojar-te a ti de ti...

À espreita,
agachado,
alguém que já nem pode estar de pé!
Espírito aleijado!

E há pouco ainda tão soberbo,
nas soberbas andas da tua soberba!
Há pouco ainda um solitário sem Deus,
em convívio com o Diabo,
o príncipe escarlate de toda a altivez!...

Agora -
entre dois nadas
enroscado,
um ponto de interrogação,
um enigma estafado -
um enigma para aves de rapina...

- elas te «solverão»,
já estão com fome da tua «solução»,
já esvoaçam à volta de ti, do teu enigma.
à volta de ti, enforcado!...
Ó Zaratustra!
Conhecedor de ti mesmo!...
Carrasco de ti mesmo!...


F. Nietzche. 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D