Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

Blogue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

A Natureza Humana é a Psicose.

(Psicose é uma perturbação da mente que causa dificuldades em determinar o que é ou não real) 

 

razão do Homem é uma artimanha, do natural, que empresta certa lógica ao seu apetite irracional. Para melhor a compreendermos usemos este exemplo: O animal bebe do charco, nós do copo. Um copo que serve mais disfarce, do que água.

Falo na nossa capacidade de inventarmos significados, símbolos, et cetera, que têm como propósito não a representação, o conhecimento objectivo do real, mas sim o divórcio entre este e nós. A cultura, em sentido lato, mais do que a ciência, foi/é uma invenção, nossa, que teve, e tem, como objectivo um desligamento do real, do natural (ex: o Bem Moral sempre difícil, doloroso porque inatural - não matar o inimigo, controlo dos instintos, sacrifício). Os sistemas filosóficos transcendentais, onde incluo a religião, "inventaram" , para nós, naturezas diferentes da nossa própria natureza. Daí talvez o número crescente de Psicopatias (guiamo-nos por condutas morais/comportamentais inadequadas à nossa biologia). A propósito, Sapolsky fala, no seu mais recente livro, repetidamente disso.

Racionalizamos, a posteriori, comportamentos que são independentes da nossa vontade, fingindo, na maior parte das vezes, um controlo, que não temos, nas escolhas que fazemos. Somos até capazes de transformar um meio, para obter um fim, num fim, em si mesmo - ex: o acto sexual como meio para a criação (fim), passou, com a evolução cultural/científica, a ser outro fim. Já para não falar na Arte, que deixou, mais concretamente, a pintura, no final século XIX, início do XX, de imitar o objecto, pondo de lado os sentidos humanos. Transcorrido pouco tempo perdeu-se num subjectivismo sem sentido. 

Daí a "metáfora do copo". Os "copos" representam todas as criações que permitem reforçar a fronteira entre nós, "pessoas humanas" , do "macaco mal acabado", que somos.

Se é bem verdade que a maioria tem fé na evolução biológica das espécies, crê também, bem lá no fundo, que devemos mais ao pó das estrelas, do que ao percurso evolutivo. Assim, ao mesmo tempo que deixamos a Biologia para os macacos, usamos a Arte para as nossas "macaquices".

 

PS:  Burilei este texto, após uma conversa amigável, mas, com o retoque, os comentários desapareceram. Peço desculpa. 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Vorph Valknut 07.11.2019



    Por vezes preciso de tempo, ou de ajuda, ou de ambas as duas

    Mas sobre os filósofos, hei de lá chegar. Irei martelar sobre Nietzsche.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    imagem de perfil

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D