Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

23.10.19

...


Vorph "Girevoy" Valknut

 

"É frequente desencadearem-se as verdadeiras tragédias da vida de uma maneira tão pouco artística que nos magoam com a sua crua violência, a sua tremenda incoerência, carecendo absolutamente de sentido, sem o mínimo estilo. Afectam-nos do mesmo modo que a vulgaridade. Causam-nos uma impressão de pura força bruta contra a qual nos revoltamos. Por vezes, porém, cruzamo-nos nas nossas vidas com uma tragédia repassada de elementos de beleza artística. Se esses elementos estéticos são autênticos, todo o episódio apela à nossa apreciação do efeito dramático. De repente deixamos de ser actores e passamos a espectadores da peça. Ou antes, somos ambas as coisas. Observamo-nos, e todo o encanto do espectáculo nos arrebata".

Oscar Wilde, in "O Retrato de Dorian Gray"

 

O Belo da perda por vir :

Há tragédias omissas de qualquer tipo de beleza. E há beleza, nalgum tipo de tragédias. Uma beleza que convida não ao gesto, à palavra, ao sorriso, à inquietação de braços e cadeiras, mas à imobilidade, ao silêncio, ao recolhimento. Há beleza, felicidade, provindas da ignorância dos esquecimentos. E há uma outra felicidade, negativa daquela, causada pela acerada consciência de em tudo haver um prometido olvido, aguçador de todo o sentimento que nos faz sorrir, chorando, que nos faz abraçar, não largando, que nos faz encenar o adeus acenado desde o nosso primeiro encontro.

 

 

 

2 comentários

  • Acrescentaria que para amarmos o abismo são necessárias asas. Decerto sabes, Mariali, qual o filosófo de tal aforismo

    Tudo de bom
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.