Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

30.08.20

Autonomia, dia 2, Pitões das Júnias, Terras do Barroso, Serra do Gerês


Vorph "ги́ря" Valknut

IMG_20200830_070304.jpg

Nascer do Sol (Fraga da Brazalite)

IMG_20200830_070850.jpg

IMG_20200830_072456.jpg

Nascer do Sol no Gerês. 

IMG_20200830_102946.jpg

IMG_20200830_123343.jpg

Derradeiros metros para a Capela de S. João da Fraga. 

IMG_20200830_224413.jpg

IMG_20200830_115030.jpg

Vista panorâmica lá de cima, abarcando o Pico da Nevosa e Carris. IMG_20200830_225945.jpg

Lá em cima, a Capela, dedicada a S. João Baptista (S. João da Fraga) - aproximadamente 1100 m de altitude. IMG_20200830_224659.jpg

IMG_20200830_225101.jpg

São necessários pés de gato para cá chegar. 

27.08.20

Esbardalho Orçamental das Esquerdas


Vorph "ги́ря" Valknut

18079655-communist-propaganda-poster-period-before

O défice dispara, o desemprego também, e a principal exigência da  "Esquerda", para a aprovação do Orçamento de Estado, são os aumentos salariais e das reformas. Idiotas, que só pensam ideias até ao joelho. 

Post Scroptum : Já percebi. Acabei de ser notificado que a partir do dia 15, do próximo mês, o País entra em Estado Comatoso, vulgo Estado de Contingência. 

26.08.20

De regresso ao Douro


Vorph "ги́ря" Valknut

IMG_20200826_003638.jpg

Entrada de um Pombal típico do Douro. 

IMG_20200826_004033.jpg

Interior do Pombal (em ruínas). 

IMG_20200826_003607.jpg

Os pombais tradicionais são um património emblemático da região de Trás-os-Montes e estão fortemente associados à comunidade rural, que outrora usava os pombos juvenis (borrachos) para alimentação, sendo esta uma fonte adicional de proteína para os habitantes locais. Já o estrume dos pombos, considerado de elevado valor fertilizante e denominado por "pombinho", era/é usado para fertilizar os solos agrícolas. Ter muitos pombais também era sinónimo de riqueza. Os pombais assumem um papel fundamental no sistema sócio-ecológico.

IMG_20200826_003945.jpg

Um amendoal, cada vez mais raros nesta parte do Douro. Os amendoais têm vindo a perder terreno para a vinha.

IMG_20200826_003801.jpg

Vista do Douro e de uma ponte ferroviária, desde Santo Amaro, próxima da Estação do Pocinho.

IMG_20200826_164120.jpg

Trail running de ontem. 

IMG_20200825_203353.jpg

 

22.08.20

Schwarze Sonne


Vorph "ги́ря" Valknut

Teufelslied

"O caminho para o Totalitarismo é paradigmático, não dependendo do lugar ou do tempo. Primeiro, indelevelmente, sem que ninguém note, limitam-se/suspendem-se liberdades, num determinado contexto social, ou político, que pareça, à população em geral, medida adequada (o ideal é fazer com que seja o próprio povo a exigir a restrição das suas liberdades), em nome de uma Ordem vaga, de uma Segurança diáfana. Esta passividade da sociedade, perante a restrição das liberdades, será tão mais evidente quanto mais o cidadão for exposto, educado no, e pelo Medo constante - ex: Pandemias, Terrorismo, Desemprego, Alerta disto, Alerta daquilo. Depois de abolidas, as Liberdades raramente são repostas, pois criar-se-ão sempre Novas Ameaças.

Chegará assim o dia em que a Liberdade surja como a maior das Ameaças. 

As Constituições têm como propósito Defender o Cidadão do seu próprio Estado".

10.01.2019 (aqui)

21.08.20

Em Ponte de Lima, ontem.


Vorph "ги́ря" Valknut

Ontem, em Ponte de Lima, no restaurante Açude, com vista directa para o Rio Lima, comemorando 6 anos de casados. Não podendo, nem querendo competir com o meu querido amigo Robinson, dedico-lhe um Arroz de Sarrabulho e um tinto Quinta do Vallado (2011).

IMG_20200820_135005.jpg

IMG_20200820_135011.jpg

IMG_20200815_203459.jpg

Adenda : o vinho bebi-o no Douro e não no Lima (no rio Lete, escolhi um Verde branco fresquinho). O Arroz já ia a meio quando me veio à lembrança - ou não fosse o Lima, o Lete - o Genosse, Robinson. Mea culpa. 

19.08.20

Passado revisitado


Vorph "ги́ря" Valknut

Quando penso sobre a libertação do Homem, do Trabalho, faço-o metaforicamente. Trabalhar é transformar, mas pensar, entender, é também transformar, o que existe dentro e o que existe fora. Por isso Pensar é Trabalhar.

 

Quando falo em usar a tecnologia para substituir o Homem, sigo o raciocínio inicial, aquando da invenção da primeira máquina a vapor. Tornar menos pesada a vida. Tornar menos presente a necessidade. Tornar o Homem mais Livre (da Necessidade) . É nisto que consiste a ciência. É nisso que ela se justifica.

 

Quando falo na substituição do Homem, pela máquina, vinco também a eficiência superior da máquina na execução de um trabalho e como isso se traduz numa poupança de recursos (materiais, intelectuais, espirituais) . Recursos que poderiam ser usados para outros fins, ou apenas não gastos.

 

Claro que as hierarquias nunca desaparecerão, apenas mudariam. Mas julgo que seria preferível ter como exemplo o pai, que usa o seu tempo com a família, do que aquele que, em nome da família, o gasta, e se agasta, longe dela.

 

Quanto aos interesses cósmicos, metafísicos, quanto às grandes questões da vida, desdenhadas por esta pragmática sociedade, habituada, ensinada sob o Altar do Trabalho, talvez se houvesse mais tempo, e menos preocupação com as coisas comezinhas da vida, houvesse mais atenção, na Escola, e nos pais, em formar Pensadores e não trabalhadores. Lembrando-me de Einstein, a Sabedoria é o que fica depois de esquecermos o aprendido na Escola.

 

Como pode haver Progresso, se as preocupações, de hoje, são as mesmas do que no passado? No fundo, apenas comer, quando não um esquecer.

08.09.2019 

18.08.20

Prece


Vorph "ги́ря" Valknut

Pai dos Céus, não peço nada de especial. Sei que pouco resta do que agora Te mendigo. Foi por outros, há muito, tomado. E há um tempo, em que não há já tempo, para pedir outros tempos. Foi-se assim, simplesmente, num sem dar conta. Deixei-me por uma vidraça enganar, ao ver de perto um afinal muito longe, e tendo apontado às estrelas, com o hábito perdi a distância de mim ao chão. Voltando-me para Ti, meu Pai, só desejava ser medíocre e satisfazer-me nessas coisas básicas, comuns, da vida, nesses poucochinhos, pouco mais que nada, sem pensar. Posso entrar? 

18.08.20

Sonho (Vorph à conversa com Pessoa)


Vorph "ги́ря" Valknut

Sonhamo-nos quando nos cremos acordados? Ou sonhamo-nos acordados quando nos sabemos dormidos? Ou só sonhamos, tendo "alguns, na vida, um grande sonho, faltando a esse sonho, e outros, não tendo, na vida, nenhum sonho, faltam a esse também"?

Vorph Valknut e Fernando Pessoa no Martinho da Arcada, Lisboa, Sábado, 12 de Março de 1927, 16 horas e 8 minutos. 

 

17.08.20

Auf Der Heide Bluht


Vorph "ги́ря" Valknut

On the heath, there blooms a little flower and she's called Erika. 

Eagerly a hundred thousand little bees, swarm around Erika. 

For her heart is full of sweetness,  tender scent escapes her blossom-gown. 

On the heath, there blooms a little flower and she's called Erika. 

Back at home, there lives a little maiden and she's called Erika.

That girl is my faithful little darling and my joy, Erika!

When the heather blooms in a reddish purple,I sing her this song in greeting.

On the heath, there blooms a little flower and she's called Erika.

In my room, there also blooms a little flower and she's called Erika.

Already In the grey of dawn, as it does at dusk, it looks at me, Erika!

And then it's to me as if it's saying aloud:

"Are you thinking of your fiancée?"

Back at home, a maiden weeps for you and she's called Erika.

Pág. 1/3