Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

31.07.20

Hypocrisy - 4th Dimension


Vorph "Girevoy" Valknut

Grupo liderado por Peter Tagtgren, um talentoso multinstrumentalista sueco, os Hypocrisy ficaram conhecidos no início dos anos 90 por praticarem um Death Metal muito melódico, sinfónico, com vocais, rasgados, ao estilo do Black Metal. Peter Tagtgren actualmente é membro e compositor da banda de Till Lindemann, vocalista dos Rammstein. Os Hypocrisy, pela qualidade e inovação da sua composição musical são, sem exagero, um marco na história do Death Metal, a par de outra grande banda sueca, os Edge of Sanity. "Letristicamente" os Hypocrisy são algo bizarros devido à maioria dos temas abordar a vida extraterrestre, ou abduções, algo pouco comum, ou ausente, em outras bandas do género. O meu primeiro álbum, do grupo, foi o Forth Dimension (1994), no qual destacaria o tema com o mesmo nome. 

30.07.20

Imigração: Há um sentimento natural de insegurança quando em partes da "nossa" cidade nos julgamos fora de casa.


Vorph "Girevoy" Valknut

http___com.ft.imagepublish.prod.s3.amazonaws.jpeg

Portugal e os portugueses, quanto aos problemas sociais causados pela imigração, são uns privilegiados. Olhamos para a Alemanha, para a França, para a Inglaterra, com certo desdém quanto ao preconceito "racial" vertido, politicamente, em partidos anti-imigração. Porém, percebo, agora melhor, dita aversão, intrínseca, ao estrangeiro. Beja, cidade em tempo de espera, tem vindo a ser ocupada por imigrantes, sobretudo sub-sarianos e da Península do Indostão, que aceitam viver, trabalhando, na Agricultura, sob condições que os nossos nacionais, e bem, consideram desumanas. Vivem, ditos, jornaleiros de turbante, filhos de Cam, em armazéns para alfaias, ou em casas, à molhada. Tendo vivido em Beja durante 18 anos, estranho este mosaico, havendo um sentimento natural de insegurança perante estas turbas bizarras. Alheios à Cultura Ocidental, ao respeito pelos Direitos Individuais mais básicos, habituados a terras ardidas, esquecidas, educados em valores iliberais, pergunto-me o que acontecerá à cidade, mais a estas estranhas gentes, quando postas na inactividade involuntária. Criados na aspereza, ao som da pólvora detonada, sob visões de fome e morbilidade, decerto cairão, sem rebuço, nos caminhos, tão seus conhecidos, da marginalidade. Há um sentimento natural de insegurança quando em partes da "nossa" cidade nos julgamos fora de casa, num destino não querido. 

30.07.20

O despudor do SNS


Vorph "Girevoy" Valknut

aa5be78baf8461102aa7f25a28c49422_XL.jpg

 

Aguardando numa Unidade de Saúde do SNS. Ao meu lado um cidadão, um português, dos seus quarenta e picos que, desde as 9 horas (são agora 13h), espera pela realização de uma endoscopia marcada há 1 ano. Medicamente não faz sentido. Humanamente é um atentado. É isto o SNS. É disto que as Esquerdas se orgulham. A culpa, segundo a cartilha ideológica, será do Privado. 

24.07.20

Há sempre uma solução.


Vorph "Girevoy" Valknut

Amigo: agora que despertaste - te despertaram. - e vês claramente o teu futuro, - ainda lá não chegaste mas infalivelmente chegarás; atenta e salva-te.
Quando a tua vida estiver um caos e já não tiver ponta por onde se lhe pegue, quando as dívidas ameaçam levarem-te as cuecas, a penhora da casa já é uma realidade, quando o carro há muito o dono veio buscar, no bar já não tenhas crédito, quando foges ao merceeiro e através de uma instalação clandestina pirateaste a electricidade para casa, o mesmo para a água; quando o teu gato já não te respeitar, o cão te tratar por tu e o papagaio te insultar, enfim; quando estiveres mesmo no fundo do poço e mais não te possas afundar; pensa e não gastes os últimos cêntimos que te restam na compra de uma corda para te enforcares e experimenta falar com ela.

 

Texto gentilmente cedido pelo caro "Acutilante". 

23.07.20

Comportamento Humano (3)


Vorph "Girevoy" Valknut

Gage.png

(Phineas Gage, ver texto em baixo) 

Como prometido, no último post, sobre o tema, "Comportamento Humano", chegámos ao Córtex. A haver uma zona responsável pela nossa Humanidade, pela nossa Moralidade, o Córtex surgiria em primeiro lugar. Dentro desta estrutura anatómica, existem muitas outras sub-estruturas, como, por exemplo, o Córtex Pré Frontal, a parte mais recente e interessante do Córtex, localizada imediatamente atrás da nossa testa (curioso como existem saberes populares que associam testas altas à inteligência). O Córtex, de entre variadíssimas funções, controla os comportamentos impulsivos, é através dele que advém a nossa capacidade de planificação, de organizarmos os nossos conhecimentos, a nossa capacidade de abstracção e pensamento lógico, e também a nossa "Moralidade". Recorrendo-me da terminologia freudiana, o Córtex é um tipo de Super-Ego. É ele que nos diz o que é mais "acertado" fazer, em cada momento. A título de exemplo transcrevo o célebre relato sobre Phineas Gage, um operário, do séc XIX, dos caminhos de ferro norte americanos, que após uma explosão ficou sem a parte esquerda do Córtex Pré Frontal, tendo, contudo, e "felizmente", sobrevivido:

"O equilíbrio entre os seus instintos animais e faculdades humanas parece ter desaparecido. Ele tornou-se volátil, capaz das profanidades mais grosseiras, tendo ficado muito diferente de como era antes do acidente. Mostra pouca deferência com os amigos, indiferente aos seus conselhos. Não controla os seus impulsos e mostra-se incapaz de planificar a sua vida. Para muitos dos seus conhecidos Gage deixou de ser Gage "

 O Córtex é maior nos animais mais gregários, mais sociáveis, em que uma boa leitura das emoções nos membros do grupo é fundamental para garantir a sua integração e sobrevivência. Curiosamente o Córtex Pré Frontal é também, ele, maior nas pessoas mais sociáveis (tendo-se usado como critério, desta sociabilidade, o número de contactos telefónicos e mensagens enviadas). Como referi, na Neurobiologia os comportamentos, as suas causas, são sempre mais complexos do que aparentam ser. Desta forma, no Córtex temos também uma zona muito emotiva designada por (NPF vm) Núcleo Pré Frontal Ventro Medial (ventral =em baixo ; medial =para dentro da sua linha média), responsável por um pensamento emotivo (ex: uma área muito activa nos músicos de jazz durante sessões de improvisação musical). Depois existe uma outra, denominada (NPF dl) Núcleo /Área Pré Frontal Dorso Lateral (em cima e para o lado de fora de uma linha imaginada que passe sobre o meio do Córtex Pré Frontal). Esta, em contrapartida, é responsável, "unicamente", por decisões, avaliações, comportamentos, meramente racionais, que visam exclusivamente os resultados e não os meios para os atingir. Assim, pessoas com danos nesta zona manifestam perturbações do foro emocional pois não existe um controlo do NPF dl sobre o NPF vm. Um exemplo prático são os octogenários que após um AVC, nesta área cerebral, ficam com obsessões, taras sexuais. Em sentido oposto, as pessoas com lesões na parte emocional do Córtex (NPF vm), tornam-se frios calculistas, sociopatas, muitas vezes bem sucedidos (grande parte dos reclusos, norte americanos, que estão no corredor da morte, apresenta danos corticais, muitas vezes resultantes de traumatismos cranianos, advindos de fortes pancadas (relembro o filme Joker) . A escolha da "melhor" decisão a ser tomada resulta de um "jogo" entre aquelas duas zonas corticais. Foi isto que António Damásio descobriu e tornou famoso no livro, "O Erro de Descartes". Diz dito autor que antes de tomarmos uma decisão existe uma experiência mental e física, sendo que a física é expressada pela sensação que sentimos, fisicamente, ao escolhermos cada uma das várias alternativas comportamentais ao nosso dispor (Marcadores Somáticos de Damásio). Quanto pior nos sentirmos (activação do NPF vm) com a escolha feita pelo NPF dl maior a probabilidade de tomarmos outro comportamento que não aquele que está a ser ponderado - É Fundamental, para a escolha das nossas melhores decisões, sob um ponto de vista, exclusivamente, Moral, a existência de uma relação biunívoca entre Emoção/Razão (quem desdenha a Emoção como o elo fraco, entre as duas, terá fortes possibilidades de vir a ser um canalha).

E quanto ao Córtex julgo melhor, por agora, finalizar as hostes, a bem da vossa, e estimada, carga cognitiva cortical. 

22.07.20

E se o Inferno arder na Terra?


Vorph "Girevoy" Valknut

"Every men born evil

Someone will try to be good as they can,

Some other will dedicate their life

To the unholy lord of the earth."

 

Houve, no céu, uma brutal luta. Miguel e os seus anjos combateram o Dragão e os seus anjos. Porém não prevaleceram. Nem mais se achou no céu lugar para eles. E foi expulso o Grande Dragão, a Antiga Serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, foi atirado para a Terra, e, com ele, todos os seus anjos.» (Apocalipse 12:7-9)

 

21.07.20

Grandes acções sem sentido


Vorph "Girevoy" Valknut

napoleao-bonaparte-historia-conquistas-e-derrotas-

Enquanto dava a máquina à oficina, surgiu-me esta ideia, sobre os motivos por detrás dos grandes feitos, pressupondo que aqueles existirão. Por exemplo, vemos nas conquistas napoleónicas, a inteligência táctica, o arrojo estratégico, a ambição desmusarada, e quem sabe, a influência dos Grandes Clássicos latinos no jovem Napoleão (Napoleão, enquanto na Escola Militar, atreveu-se, também, na poesia). Mas, e se nada disto, nada destes, digamos, românticos factores, inspiradas inspirações, belas razões, contribuíram para coisa alguma? E se tudo começou por um gesto descuidado, uma palavra impensada, uma noite mal dormida, um almoço mal digerido, um beijo recusado, um amor mal amado? 

20.07.20

Comportamento Humano (2)


Vorph "Girevoy" Valknut

amigdala.jpg

Sobre a Amígdala e em jeito de conclusão acerca desta estrutura anatómica que é, em certo sentido, a sede dos nossos piores comportamentos, ressalvando, porém, que a classificação moral de uma acção depende sempre do seu contexto (ex: matar não é em si uma acção condenável ou louvável - Serial killer vs Policia), os neurocientistas consideram-na como o berço das emoções associadas ao medo, à ansiedade, e da agressividade. Aliás, é interessante o medo e a violência terem uma mesma origem cerebral (o medo como causa de violência). Contudo nem sempre o medo conduz à agressividade e nem toda a agressividade deriva do medo, entrando aqui outros factores biológicos (ex: hormonas), sociais (macho Alfa vs macho com posição social inferior), e ambientais, que podem influenciar, por exemplo, a atrofia ou a hipertrofia de certas estruturas cerebrais - ex: crianças educadas em ambientes hostis apresentam estatisticamente, de forma significativa, Amígdalas maiores, perfis hormonais diferentes, daquelas de crianças educadas em ambientes privilegiados.

Como facto curioso, e uma vez que usei os serial killers num exemplo anterior, estes apresentam, de forma expectável, Amígdalas com dimensões inferiores ao normal, inferindo-se que essa poderá ser uma das razões por aqueles demonstrarem, simultaneamente, elevados níveis de tolerância à dor e ao medo (a Amígdala tem também ligações com zonas cerebrais associadas à percepção da dor, o que faz todo o sentido, uma vez que uma das causas de ansiedade ou do medo é prever a possibilidade de virmos a sofrer). De referir, por último, que não há uma zona do cérebro responsável, totalmente, por um determinado comportamento, havendo milhares de milhões de comunicações sinápticas (ligações entre os neurónios) entre diferentes partes do cérebro, com funções muito distintas. Por exemplo, e porque será o próximo tema, o Córtex Frontal, a zona cerebral mais recente, em termos evolutivos, e mais desenvolvida nos primatas que nos restantes mamíferos, comunica com a Amígdala, refreando, anulando, a sua influência na tomada de decisões (a Amígdala é responsável, genericamente, pelos comportamentos impulsivos, imponderados, de "tipo automático", contrariamente ao Córtex que é o habitat, se assim posso dizer, do Super-Ego (a Amígdala seria o ID de Freud), ou usando outra definição, é ele o responsável pelos comportamentos mais difíceis de serem tomados, porque mais adequados (praticar o Bem é sempre mais difícil do que escolher o mal). No Córtex nasce a nossa Moralidade. 

Pág. 1/4