Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

Blogue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

...

"Some people hear their own inner voices, with great clearness, and they live by what they hear. Such people become crazy but then become legends"

 

Alfred : I'm in love with you, from the first moment I saw you...like in a novel. Is there any hope that you could learn to love me? 

 

Susannah : I don't think so Alfred. 

 

Alfred: It seems like you're not sure though. Maybe there's a chance?

 

Susannah: I can only cause you pain.

 

 

...

 

Decidi, hoje mesmo, prevenir-me contra a velhacaria da minha má memória.
Li, ou ouvi (vejam como ela fraqueja já), que a partir de determinada idade, não sabendo, eu, precisá-la (vejam como ela fraqueja já) , a nossa incapacidade de julgamento perverte toda a nossa boa vontade.
Assim, para além de, todos os dias, engolir o Cogumelo do Tempo, comprei, esta tarde, uma máquina Polaróide. Irei, brevemente, compor um Portefólio das minhas distantes amizades. Assim não serão os seus silêncios que me farão lembrar com o quê, elas se parecem. 

Toda a clarividência interior resulta de um religioso Culto pelo Esquecimento.

...

250x.jpg

 

O significado político, mas também ético, sociológico e filosófico, da ideia principal do livro de Piketty é óbvio: se o capitalismo tende a ser patrimonial e a gerar uma sociedade de herdeiros extremamente desigual, então o capitalismo tende a ser tudo menos uma meritocracia. Toda a sociedade capitalista tende a ser uma plutocracia e a tornar-se incompatível com a democracia (mesmo que, formalmente, não se verifique tal incompatibilidade).


Thomas Piketty, O Capital no Século XXI.

 

«Parece seguro afirmar que O Capital no Século XXI, a obra-prima do economista francês Thomas Piketty, é o mais importante livro de economia do ano – e talvez desta década.»


Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia

 

«Escrevi este livro não para os políticos mas para as pessoas que lêem livros. Afinal, são as pessoas que decidem o que os políticos fazem, e é mais importante convencê-las a elas.»


Thomas Piketty

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D