Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

B(V)logue de Alterne

Gosto de, sob o Facho, usar a Foice mas, tenho, no Martelo, o meu maior prazer.

09.01.19

...


Vorph "ги́ря" Valknut

 

Hoje, por um motivo que não é para aqui chamado (vejam a tag, objectivo 2019 ), fiquei com uma sequidão daquelas. Ao encontrar uma fonte de água, ou seja uma torneira, libei sofregamente o seu translúcido néctar num estremecimento primo de prazer. Nem vinho, ou bebida tropical me deram tão singular gáudio.

 

Posteriormente, já saciado, pensei que o prazer associado à satisfação de uma necessidade depende, quer da sua intrínseca e objectiva importância (ex: casa que serve de abrigo),  mas sobretudo do significado subjectivo, a ela, atribuído (ex: moradia vs apartamento).

 

Exceptuando o prazer resultante da satisfação das necessidades objectivas e fundamentais ao corpo, o prazer sobressalente é artificial..Este deriva de uma construção artística de necessidades, criadas pela máquina publicitária. O objectivo da moderna publicidade não é a satisfação das necessidades humanas, mas sim a criação de necessidades. Sendo a imaginação infinita, infinita será a nossa necessidade de satisfação.

 

Talvez por isso goste, e sempre tenha gostado, do Campo. Só fora da cidade, descubro o que não me faz falta.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.